Apresentação

O Forlibi surgiu da necessidade de unir as línguas brasileiras de imigração com o objetivo de instaurar um diálogo permanente entre estas comunidades linguísticas, e se propõe a ser um espaço de pesquisa, mediação e articulação política em variadas frentes para o fortalecimento das mesmas. Reunindo falantes e representantes das línguas de imigração e de instituições parceiras, tem como propósito delinear ações coletivas para a promoção das línguas nas políticas públicas em nível nacional.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Pomeranos agora têm dia para celebrar sua cultura no RS



A sessão plenária da última quarta-feira (11) foi especial para o deputado Pedro Pereira (PSDB) e para os descendentes de pomeranos em todo o Rio Grande do Sul. Nesse dia foi aprovado, por unanimidade, pelos deputados gaúchos o projeto de lei de autoria do tucano, criando o Dia da Etnia Pomerana no Estado. 

“O principal é preservar os valores culturais e resgatar as características históricas desse povo, que teve sua pátria roubada por sucessivas guerras, tendo a necessidade de tentar um novo começo em terras estrangeiras. A maneira com que fizeram isso e a influência pomerana no Brasil são notáveis e não poderiam continuar sem reconhecimento”, diz Pereira. O tucano também destaca a busca por esse resgate cultural realizado pelos pomeranos no Brasil, através da edição do Dicionário Pomerano-Português, pelo pesquisador e antropólogo Ismael Tressmann, em 2006 e dos trabalhos feitos pela Universidade Federal do Espírito Santo e pelas Universidades, Federal e Católica, de Pelotas para conservar e recuperar a língua, a tradição e a cultura desse povo.

Os pomeranos, descendentes de Eslavos que chegaram ao Estado em 1858, se instalando no interior de São Lourenço do Sul, logo partiram para outras terras. Sendo um povo de acentuada vocação para a agricultura, sempre cultivaram o trigo, a cevada, beterraba açucareira, centeio, pastagens e, posteriormente, a batata. Atualmente a influência da cultura, hábitos e língua pomerana é significativa nos municípios de São Lourenço do Sul, Canguçu, Turuçu, Chuvisca, Arroio do Padre, Morro Redondo e Pelotas, sendo que em alguns destes municípios os descendentes chegam a constituir 70 % da população.



A influência cultural pomerana é acentuada na música, com suas bandas típicas, na língua pomerana, falada fluentemente no interior dos estabelecimentos comerciais, na religião, de predominância luterana e na culinária, com pratos típicos como cucas e pães. A stipa, semelhante a uma serenata, que acontece no sábado de aleluia, onde pessoas caracterizadas visitam as famílias, acompanhadas de músicos e são recepcionados pelos donos da casa com doces, cucas, bebidas e recebem uma pequena quantia em dinheiro para cobertura do deslocamento.

O Dia da Etnia Pomerana no Rio Grande do Sul será comemorado em cada 18 de janeiro, data em que chegaram os primeiros colonos pomeranos ao Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário